Pequeno e sossegado vale agrícola, perto do rio Douro, atravessado pela sua famosa linha de comboio, que foi centro de uma antiga e vasta propriedade. Ainda hoje se mantêm na família cerca de 60 ha, onde predominam as vinhas e os antigos laranjais (produtos característicos da região), envolvidos por matas e florestas.
Embora a família Azeredo se encontre em Baião há cerca de 400 anos, esta Quinta foi comprada pelo bisavô do actual proprietário em 1923. Em 1992, após o seu casamento, a Inês (Técnica de Turismo pela Escola de Hotelaria e Turismo do Porto) e o Carlos (Arquitecto pela Faculdade de Arquitectura de Lisboa) para aqui vieram viver, recuperando e adaptando a Casa e a Quinta ao Turismo de Habitação. Os seus três filhos, Carlos Maria, Maria e Francisco aqui nasceram, mantendo uma ligação da família à Casa de Cochêca que já vai na quinta geração.